Emília Goulart

Minha foto
Araçatuba, São Paulo, Brazil
Escritora,poetisa, contista,cronista, romancista, artista plástica. Costureira da arte.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

FELIZ NATAL


     A proximidade do Natal nos transporta para dias especiais da nossa vida que ficaram guardados em um recanto da memória reservado a nossa infância.

 Agradeço a Deus por este pequeno compartimento onde as boas lembranças são preservadas, nele não há lugar para mágoas, nem decepções. Ele é um lugar sagrado. Inocente e puro. Nele está a criança que devemos buscar constantemente dentro de nós, é com este espírito natalino que devemos comemorar o aniversário Daquele que veio ao mundo por nós e não para si mesmo.

O feliz aniversariante que nos desperta para o amor ao próximo, o respeito e a solidariedade, é o Menino Jesus, que nasceu em uma manjedoura e foi visitado por reis.
 A proximidade de 25 de dezembro é um tempo mágico, os nossos sentidos parecem acordar de um sonho ruim, onde uma correria infernal nos leva para algum lugar onde não queríamos estar. Lá, onde habita a vaidade, o consumismo e o egoísmo fazendo de nós seus escravos.

Mas, eis que se aproxima o Natal e com ele novas esperanças, novas promessas. Vamos festejar com alegria Aquele que veio para nos salvar.
A visão começa a se encantar pelos enfeites natalinos. Luzinhas começam a piscar para nos lembrar que uma criança nasceu por nós e que ela quer comemorar seu aniversário em meio à paz.
O olfato já sonda o cardápio admirado pela visão, antes que o paladar se lance a ação. É hora de selecionar os pratos que irão compor a ceia. Muitas frutas enfeitarão a mesa, o tato discretamente confere tudo, alisa e apalpa. Visão, olfato, paladar e tato começam a se entender. A audição está relutante:
— Com este carro de som eu não vou.

 Não é à toa que este sentido se recusa. Ele tem bons motivos. Porém, é Natal. Os carros de som vão aderir ao tema e espalhar por aí o jingobel.
 Hoje a noite é bela... Como é bela! Ela promete e seduz.
A cada Natal as lembranças vêm até mim em veículos diferentes. Este ano chegou de ‘paladar’, com o sabor das castanhas cozidas e do pudim de laranja da minha querida tia Maria que já compartilha da mesa real.

 Na sequência, a visão. Esta chegou bem vestida, com muito brilho. Vislumbrou a mesa posta com fartura cercada por nossos familiares. Naquela mesa ainda não faltava ele... meu pai.

 O Papai Noel que já na minha infância era muito velho de barba branca, quase sempre se esquecia dos presentes, não era assíduo, às vezes não aparecia. Também não fazia muita falta, nunca o vimos realmente. Chegava sempre atrasado. Deixava presentes nos sapatinhos e partia sem ser visto. Isto muito me intrigava. A felicidade ficava mesmo por conta da convivência alegre e pacífica entre os familiares e amigos. O olfato circulava pela pequena cidade seguindo o aroma do porco no tacho e da leitoa assada que integravam as festividades natalinas.

Por fim, o tato descontraído entrava portando afetuosos abraços. Meu maior desejo é que o presente natal tenha a tranquilidade dos natais da minha infância.

 As visitas inesperadas são bem-vindas em noites de natal, desde que tragam nos corações a mensagem de Jesus: “Eu vos deixo a minha paz, Eu vos dou a minha paz”.

Emília Goulart - Membro do Grupo Experimental da AAL, da Cia dos blogueiros e da UBE.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

QUAL O PRESENTE?


                 Que presente daremos?
Está chegando o Natal, as preocupações vão adquirir uma leveza compatível com a data. É justo que assim seja, pois o que se anunciava a mais de 2000 anos era a vinda do Salvador. Os três REIS MAGOS não tiveram dúvidas, puseram-se a caminho para entregar ao Menino Redentor, os seus presentes.
Hoje aguardamos um presente ou vários presentes. Tudo depende do poder aquisitivo de cada um, muitos contarão apenas com as sobras de uma mesa farta. Outros aguardarão com ansiedade a última mega-sena do ano, outros ainda, estourarão os cartões de créditos procurando agradar a quem não quer ser agradado com presentes,  mas com  atitudes de respeito e carinho.
Há aqueles, ainda, que derramarão sua saúde em taças e brindarão com veneno a toda velocidade destruindo vidas.
Mas, e o presente? Que presente daremos? Será o presente mais importante que o futuro?
Para um filho, caso o pai tenha posses, dará a moto dos sonhos dele. Aquela dos seus pesadelos. Dará. É Natal,  fechou ótimos negócios e seu filho merece um bom presente. Para o outro, aquela BMW. Puxa vida, você queria tanto ter tido uma na sua juventude! Será um belo presente para ele e para você.    Mas estes são presentes para poucos. Aos nossos o que daremos? Não sei, espero que os meus se contentem com o meu amor e meus amigos com a minha amizade.

Lá na periferia alguém pensou nos mais humildes, convocou pessoas que foram às ruas e pediram brinquedos para as crianças, gesto magnânimo de amor ao próximo. Será ele candidato a algum cargo político? Falou... falou e se esqueceu de cumprimentar O aniversariante.
As crianças saíram satisfeitas com os presentes e com  a fala bonita daquele que vai lhes proporcionar escolas e vida digna.
Nossa,  me esqueci do principal. Talvez você também tenha se esquecido de agradecer ao aniversariante, mas Ele entende, afinal não foi Ele quem nos propiciou tudo isto?
Que presente daremos? Para filhos, netos, pais, avós, amigos e mais amigos, namorados, amantes, esposos... e esposas...pessoas queridas? As ruas estão iluminadas, pesadas sacolas transitam em mãos ocupadas demais para um cumprimento, o simples gesto de um aperto de mão. 
Será que agora podemos depositar nossos fardos no chão e num minuto de leveza cumprimentar e agradecer O aniversariante? E quem sabe pensar num bom presente para Ele? Eu já encontrei.
Darei  a Ele todas as boas ações que eu praticar neste ano e com isto espero ajudar a construir a Paz que  Ele tanto deseja ao mundo.   

Autora Emília Goulart  09/12/2011 –
Membro do Grupo Experimental da AAL ;
Membro da UBE e  da Cia dos blogueiros  


sábado, 3 de dezembro de 2011

RECONHECIMENTO LÁ FORA

Veja na coluna, página 5 do Jornal Empresas e Negócios a resenha com a divulgação do livro " 0 Diário de Vó Lina" de minha autoria.
 
Livros em Revista

José Antonio de Azevedo – Biblioteca 24X7 –
Saga romanceada de membro de família de retirantes
nordestinos instalados em São Paulo em meados
do século XX. Óbvias passagens de sofrimento,
solidariedade e total superação, são ingredientes
deste verdadeiro libelo à determinação humana.
Denso e verdadeiro.
Transição
Guimarães Rocha – Fausto Furlan (ilustr)
- Life – O autor que possue o recorde de lançar
15 livros num só dia, transformado em arauto da
ótima literatura pantaneira, homenageou a Academia
Sul-Mato-Grossense de Letras, reunindo pouco
mais de cinquenta de seus membros. Obra de fôlego, permeia
biografi as ilustres e os reverencia sem teor bajulatório, restando
tão somente o meritório. Justa e belíssima homenagem.
Grandezas da Literatura
Sul-Mato-Grossense
Jacqueline Aisennman – Design – Brasileira,
residente na Suíça, onde mantém livraria com livros
de autores brasileiros, lançou em terras tupiniquins,
em formato “pocket”, singelos micro contos. Apesar
de curtos são grandiosos em seu âmago e nos levam
a profundas refl exões. Instigante.
Lata de Conserva
Jordemo Zaneli JrSomos – Romance com
teor global. Acontecimentos em vários países que
se entrelaçam de forma misteriosamente circunstancial,
fazem do enredo, entremeado por citações
verdadeiras e boas facetas de pertinácia e recuperação,
uma leitura rápida, instrutiva e verdadeiramente
prazerosa. Para jovens e adultos.
A Garota Rockstar
Mhário Vicente – Integração – Em total
consonância com sua faixa etária, inquieto jovem
procura viver intensamente sua vida, para fugir de
um passado tormentoso. Consegue destaque social
e fi nanceiro. Em ares europeus, recebe uma triste
notícia que colocará em xeque, sua existência. Romance denso,
criado pela inteligente pena desse lídimo cidadão paranaense.
Para ler com vagar.
O Homem que Chorava
Carlos Gustavo Fiorini – Educador , pesquisador,
narra fatos verídicos baseados no Alto
Araguaia, onde originou-se episódio conhecido da
Guerrilha do Araguaia. Incansável defensor dos
Direitos Humanos em toda sua plenitude, retrata
de maneira romanceada, agruras de um povo que
sempre sente-se rodeado por incrustada corrupção.
Descasos e desrespeitos de toda sorte ao cidadão, fazem parte
desse verdadeiro alerta. Preocupante.
A Deusa Nua
Ramon Correa – Scortecci – O poeta com
muito humor, demonstra que cabeça vazia, tem
somente o titulo dessa obra. Destilando uma verve
as vezes crua outras extremamente delicadas, assim
as páginas vão transmitindo todo senso crítico social
do autor. Lê-se rapidamente.
Cabeça Vazia...Ofi cina de Poesia
Emilia GoulartSomosAutora também
nove vezes avó, estereotipou um personagem para
demonstrar o quão útil pode ser a doçura aplicada
com sabedoria , que na maior parte das vezes, vem
acompanhada pelo tempo. Verdadeira ode à velhice
e bom senso.
O Diário de Vó Lina
José Domingos de Brito (org) – Novera
– Bibliotecário compilou depoimentos de célebres
escritores sobre a arte de escrever, citando suas
biografi as resumidas. Há testemunhos que causarão
perplexidade ao leitor, pela sua genialidade e alguns
pela total falta de nexo, típica de almas diferenciadas.
Este é o primeiro volume de uma vasta e útil
coleção. Curiosa e instrutiva.
Por Que Escrevo?
Giselda Penteado Di Guglielmo – Poetisa e artista
plástica, ilustra muito bem suas páginas, revela em seus versos,
doce eloquência, cultura e boa vivência permitindo que
a vejamos quase despida em suas frases diáfanas. Poemas de